segunda-feira, 29 de março de 2010

O amor renasce

O que é o amor?

EU achava que o amor era somente o que se sentia pelo sexo oposto...depois vieram e explicaram-me que também podíamos sentir amor pela familia, pelos amigos, pelos animais...

E eu continuei a viver...

Até que, descobri o amor próprio...aquele que nutrimos por nós mesmos e que é alimentado com as coisas boas e doces da vida que nos preenchem, que nos dão alegria e, por vezes nos fazem sorrir! Sentir e viver como nenhum outro ser antes o fizera.

Sim, acho que descobri o verdadeiro amor...é este! E este não me vai magoar!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010


Só é possível decepcionarmo-nos, quando esperamos algo*
Ora, como nada espero já de ti, a decepção já não me magoa mais!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

I love you, but I don´t need you

Há tempos publiquei um post em que se lia que, para se amar alguém é preciso primeiro que tudo, não se precisar desse alguém...
Estranha forma de amar...pensei na altura...mas agora, agora que vejo o quão pouco é o que me dás, concluo que afinal até posso sobreviver, bem, sem ti!
Sabes, primeiro começamos por ter quem nos admire, quem nos dê o que falta, depois, sem nada se passar, tudo dentro de nós se passa e percebes que afinal, nem fazes grande falta, nem dás grande jeito...a vida é tão simples!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Olhar Profundo


Vi-te...ali parado a olhar para mim!
O luar reflectia-se no teu olhar e tu fixaste o meu com uma profundidade jamais vista ou sentida!
Fizeste-me ver pra além de ti...lá ao longe onde apenas se encontram os teus sonhos, os teus desejos e tudo aquilo que escondes do mundo!

Aproximaste-te de mim...mantiveste o teu olhar no meu...a vontade de mergulhar na tua boca...de sentir o teu sabor...o teu cheiro...a tua mão na minha cintura e no meu cabelo...desviei o olhar...tive medo...muito medo de não resistir a todos estes sentimentos repentinos!

Tentei fugir...mas o teu olhar perseguia-me...sentia-o nas minhas costas a queimar como duas brasas...duas brasas que me marcaram a ferro e fogo! Continuo a querer fugir desse teu olhar profundo...desse olhar que me persegue e faz quase perder os sentidos...mas...não consigo fugir!

Acabou aquele momento e o meu olhar continua à espera do teu...o meu corpo chora pelo teu...chora por aquilo que nunca teve mas que conseguiu imaginar através dos teus olhos...olhos profundos que se cruzaram com os meus e me deixaram a vaguear no vazio...lá longe onde ninguém me encontra!

domingo, 20 de dezembro de 2009

Voltar à Rotina

...não há bem que sempre dure...

mas havia de haver mal que acabasse...para sempre.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Entre nós ás vezes dá

Hoje decidi trocar o tom melancólico com que escrevo e falar do bom, do delicioso que é quando, afinal, entre nós até dá!
Sabes como é?!
É sentir as estrelas ali pertinho,
ver as borboletas alegres a aproveitar
o seu único dia de vida,
é viajar no infinito!

É programar sem ter programa!!

Uau! É tudo isto e um milhão de coisas mais!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

"E se..."


A vida dá voltas estranhas...giramos, giramos e continuamos a girar em torno dos muitos "ses" que ela tem...
E se...e se...e se...
O problema é que não construímos nada sobre este "e se"! E se tu tivesses falado de outra forma não tinhamos discutido...e se o que para mim é normal para ti não fosse contra natura não nos tinhamos separado...e se fossemos só para onde tu queres eu deixava de ser eu...e se e se e se...

E eu pergunto: e se olhassemos os dois para o mesmo caminho? E se o fizessemos os dois juntos? E se tu olhasses de vez em quando para a tristeza que deixavas no meu olhar? E se tentasses remediar a situação em vez de continuares a remar contra uma maré sem volta...onde ninguém te consegue dar razão? Seremos todos nós loucos? ou serás apenas tu aquele que não vê a realidade?

Tantos "ses" nesta vida cada vez mais sem sentido!
Agora só me resta pensar: e se o céu é o limite não será ele próprio uma solução para todos estes "ses" que nos rodeiam?

terça-feira, 10 de novembro de 2009

"se um dia eu tiver k ser tua serei"

ouvi esta frase kuando a relação terminou, e hoje olho pra traz e só ve me vem isso á cabeça, os meses passam e os anos tb e ainda não te eskeci...

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Plágio 2


"Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"

Mario Quintana

Clubedosencalhados.blogspot.com

Leva-me mais longe


E a porta continua fechada!

Apetecia ficar no silêncio do escuro eternidades!

Gostaria de sentir a leveza da solidão infinidades!

Amaria transpor o lado de lá...leva-me mais longe!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Leituras ...

"Quatro verdades básicas sobre o que faz o amor durar:

1. Amamos quem nos faz sentir bem connosco próprios - expressar admiração é mais do que dizer amo-te.


Mulher: Gostas de mim?
Homem: (Com uma voz um pouco aborrecida) Claro.
Mulher: Porque que dizes isso nesse tom de voz?
Marido: Porque já te disse vezes sem conta e tu continuas a perguntar.
Mulher: Eu sei, mas quando o dizes é de uma forma tão trivial, e geralmente é depois de eu o ter dito primeiro.
Marido: Mas tu sabes que gosto de ti. Porque que eu estaria aqui se não gostasse?
Mulher: Pois, acho que sei que gostas de mim, mas por que é que gostas de mim?
Marido: Gosto, e pronto. E agora podemos deixar de falar nisso? Preciso mesmo de dormir.
Mulher: Estou a falar a sério. Quero saber. Por que é que gostas de mim?
Marido: És gentil. És simpática. Gosto de ti, pronto. Vá lá, sabes que eu gosto de ti.

Apagam-se as luzes."

2. A maioria de nós sabe o que aquece o coração do parceiro
3. As críticas desgastam o amor
4. Um amor inabalável, imutável e à prova de casos extraconjugais é algo que não existe

_ Gosto de ti, mas...

sábado, 5 de setembro de 2009

Vou fechar a porta.


"Levanto-me. Sento-me. Ergo-me. Caminho. Dou a volta. Regresso. Chamar-te. Saborear todas as letras e depois falar.

- O que não significa nada
- Então significa o quê
- Significa que preferi ficar contigo, apesar de tudo
(...)
- O que é que tu estás a dizer
- Se era para isto. Se era para chegarmos a isto, tu afinal a pensares nessa merda o tempo todo, se calhar era melhor estarmos em igualdade
- É tão fácil dizer isso
(...)
- Tu sabes lá o que é uma pessoa sentir-se mal
- Pois, desculpa, tu agora tens o exclusivo
- Vai à merda"

_A casa quieta

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

O Amor e o Tempo


«Pela montanha alcantilada
Todos quatro em alegre companhia
O Amor, o Tempo, a minha Amada
E eu subíamos um dia.

Da minha Amada no gentil semblante
Já se viam indícios de cansaço;
O Amor passava-nos adiante
E o Tempo acelerava o passo.

-"Amor! Amor! Mais devagar!
Não corras tanto assim, que tão ligeira
Não pode com certeza caminhar
A minha doce companheira!"

Súbito, o Amor e o Tempo, combinados,
Abrem as asas trémulas ao vento...
-"Porque voais assim tão apressados?
Onde vos dirigis?" - Nesse momento,

Volta-se o Amor e diz com azedume:
-"Tende paciência, amigos meus!
Eu sempre tive este costume
De fugir com o Tempo...Adeus! Adeus!"»

António Feijó
(Poeta de Ponte de Lima - 1856-1917)

DESapontamento

É com alguma frequência que nos desapontamos com a realidade, com as pessoas - enfim, com a vida. Gerimos uma sequência lógica para nós, do rumo das coisas, da sucessão de acontecimentos. Por vezes, essa roda giratória a qual damos velocidade, estagna...e volta para trás. Diriam que é "o mundo ao contrário"...Que "os tempos estão trocados" e ainda "se aqui viessem os antigos de há 50 anos, morriam novamente". Mas afinal, qual a razão que nos impede de seguir o curso natural das coisas e movimentar forças na busca dos impossiveis?! Teremos nós uma costela de 007?...Ou seremos apenas insatisfeitos por natureza, um legado de Adão e de Eva?...

domingo, 9 de agosto de 2009

Egoismo, Egocentrismos e outros eus

http://monlover.files.wordpress.com/2007/07/pele_francisca.jpg

Vamos falar a sério, com seriedade:

"Egoísmo é o hábito ou a atitude de uma pessoa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento (ou não) do ambiente e das demais pessoas com que se relaciona. O egocentrismo caracteriza-se pela fantasia de imaginar que o mundo gira em torno de si, tomando o eu como referência para todas as relações e fatos.A pessoa egocêntrica é egoísta, no sentido de que não consegue imaginar que não seja ela a prioridade no mundo em que vive.O egoísmo é o amor mal direcionado. O amor próprio no lugar errado abre caminhos para todas as falhas humanas. O egocentrismo é um acto de impiedade. Buscar apenas os seus interesses próprios sem se importar com o outro é andar na contramão."

"É tudo isto que o verdadeiro amor não quer e de que abriria mão de livre agrado. É tudo isto que pessoas infelizes em relações experiênciam - uma atitude egoista e egocênctrica por parte dos outros, que os leva a corroer tudo, pior que ácido.
As marcas podem durar toda uma vida quanto maior for o tempo de exposição a esse ácido. A cirurgia plástica é uma ajuda, mas não corrige tudo." - Pela Psicóloca ANM.

As vezes...


As vezes fico aqui sentado, a pensar na vida.
Penso e repenso no que deveria fazer para que tudo fosse diferente.
Dou voltas à cabeça para encontrar um caminho, uma saida...a tua entrada.
Ando à procura do que sei que existe em nós, mas que parece ter-se tornado invisível.
Estranho...sensação estranha. Incomodo...sinto-me incomodado.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Uni-sexo


Esperança
Tantas formas revestes, e nenhuma
Me satisfaz!
Vens às vezes no amor, e quase te acredito.
Mas todo o amor é um grito
Desesperado
Que apenas ouve o eco...
Peco
Por absurdo humano:
Quero não sei que cálice profano
Cheio de um vinho herético e sagrado.

Miguel Torga, in 'Penas do Purgatório'

domingo, 19 de julho de 2009

Find me somebody to love


I try and I try...I Cry and I Cry and I Cry....
God what you´ve done to me...
Somebody...somebody...find me somebody to love...Anibody, everybody, Find me somebody to love...
I´m OK, I´m alright...BUT find me somebody to love...


(http://farm3.static.flickr.com/2522/3679776649_28b338d5e7.jpg)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

saudade

Os dias vão passando e as saudades vão aumentando, a distancia que nos separa, aumenta o desespero e a vontade de te ter de novo, sofro por não te ter, desejo te todos os dias da minha vida, es a unica pessoa que me conseguia faxer feliz...
sonho um dia poder tocar te sentir, e ter te comigo pra sempre...
mas por um lado tou farto de isto tudo, pk não te posso ter=(=(=(=(


..................................................

terça-feira, 14 de julho de 2009

Verde meu amor! Verde de Esperança!


http://www.poemar.com/borboleta_verde.jpg

quinta-feira, 9 de julho de 2009

...

Dificil não é lutar pelo que mais se quer,
é sim desistir pelo que mais se ama,
eu precisei de desistir, mas não desisti por não ter mais forças!
mas sim por não ter mais condições de sofrer......

terça-feira, 23 de junho de 2009

Plágio

"Voltamos ao início, ando fixado nesta coisa e não me custa iniciar. Custa-me é acabar. Iniciar é um instantinho, duas de conversa, o encanto da descoberta, a primeira vez de tudo, todas as coisas são maravilhosas e o mundo é azul e aqui o temos. Agora acabar? Acabar é outra coisa. Acabar arrasta-se, o início não. Não há inicio nenhum que se arraste, quando muito, as negociações que levam a que algo principie podem levar algum tempo, mas o inicio em si não se arrasta. Começa e pronto. E não há acabar e pronto.

Já acabei algumas vezes e já acabaram comigo outras tantas. Não é uma coisa que me orgulhe - não é - mas aqui admito que o que me acontece é o mesmo que frequentemente sinto quando necessito de dar condolências a alguém: não sei o que dizer. Sinto muito, fico triste por isso, mas tudo o que eu posso fazer é, por mais que eu não queira, dar-lhe um abraço sem dizer nada. O que se diz a alguém que acabou de perder um parente muito próximo? Sinto muito, é isso? As minhas condolências? Era um bom homem e que Deus o guarde? Não creio. Tudo tresanda a frases feitas, como as sms repetidas no Natal e de aniversário.

Com os relacionamentos, a situação agrava-se porque não se pode acabar com um abraço, embora isso pareça muito bonito. Até porque já ninguém acredita naquela coisa do “ Não foste tu, fui eu! ,sendo quase certo que deve haver ali alguém no meio , embora não seja fácil admiti-lo. Ninguém gosta de saber que há uma outra pessoa. É melhor percebermos que algo se esgotou por si só, sem a ajuda de ninguém. Mas o problema, é que quando algo começa a esgotar-se, muitas das vezes torna possível a entrada desse alguém. E esse alguém é o início do fim.

E assim sendo, resta-nos comunicar isso mesmo e aqui é que começam os trabalhos . Vamos cá ver, segundo as normas instituídas, pelo livro, devemos convocar um encontro com a outra pessoa e pessoalmente, olhos olhos, dizer que tudo - e peço desculpa que vou ali buscar um copo de água - que tudo acabou. Quem está a ler isto, dirá: É assim mesmo, isso é ser um homenzinho!!” Está bem, eu compreendo. Mas também é preciso ter uma grande frieza, diria que quase germânica, para dizer a uma pessoa de quem já gostamos tanto e que, possivelmente ainda gosta de nós, que nós já não gostamos dela. Ainda por cima por cima à frente dela.

E assim, se por um qualquer motivo não o conseguimos e escrevemos ou telefonamos a comunicar, é certinho que nos irão dizer: Nem foste capaz de me dizer isso na cara! Como se isso fosse uma coisa má e um acto tremendamente cobarde.
Pois bem, eu acho o contrário. E se poder evitar ter uma pessoa triste à minha frente e fazê-la chorar, se puder evitar os elogios de conveniência e a discussão do costume, se poder evitar levar com uma garrafa de vidro ou um tiro no pé, se puder evitá-lo, então faço-o. Porque o fim em si, é absolutamente inevitável." - Fernando Alim

sábado, 13 de junho de 2009

Saudade...

Ninguém mais poderia ser meu amor
Ninguém poderia ser tão especial
como você é para mim
preenche minha vida,
meu coração ,
meu mundo com tanta felicidade.

Ninguém mais poderia me completar
como você me faz
com um simples gesto,
com suas doces palavras,
com seu sorriso,
com seu delicioso carinho .

Ninguém mais poderia ser essa pessoa,
tão especial
tão meiga
tão cativante
tão doce
tão carinhosa
tão encantadora
tão fascinante
tão apaixonante como você é para mim.

Ninguém mais poderia me conhecer e
me compreender melhor
do que você!

Ninguém mais poderia ser o meu amor ...
Ninguém, a não ser você.

Lembre-se ...
Te amei ontem
Te amo hoje
Te amarei sempre ...

gosto deste texto k 1 dia alguem me enviou

terça-feira, 9 de junho de 2009

Let me Live

E é aqui que páro, sempre que ousas quebrar um pouco mais do que ainda me resta. Tento, dos cacos que fica, montar todo o imaginário bonito que um dia criei, e ainda crio, para nós. Lanças ao ar tudo o que é bonito, tudo o que deu trabalho. Cobras o que não tens direito a cobrar e julgas o que não tem julgamento. Fazes-me viver na agonia constante de um ter que não tenho, de uma vida que não é minha. Um olhar vazio, cheio do nada com que o habituaste a estar preenchido...A imagem é um monte de peças (Puzzle) jogadas ao ar, as quais eu tento apanhar e, em milagre refazer, peça a peça...mas os olhos, as mãos, o corpo....todo ele perde as forças...e a reconstrução torna-se cada vez mais débil...porque não me dás as tuas mãos? Porque não me ajudas a construir uma imagem que é nossa?...porque insiste em fazer das minhas pernas, dos meus braços, atletas cansados, quando havia tanto ainda para correr, para abraçar...
video

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Dar Murros em Ponta de Faca

E é assim que andamos a maior parte desta vida, a insistir no que não vale a pena, a lutar pelo que não merece luta...enfim, a dar murros em ponta de faca. Já fazendo sangue, tal não é suficiente para que desistamos e sigamos em frente. E ficamos ali, como um burro a olhar para um palácio na eterna expectativa, a criar sinais e simbolos que não existem e não passam da nossa ilusão. Alimentamo-nos assim se possível for, uma vida inteira, na incerteza do amanhã pode ser melhor...mas e se não for?

video